Thursday, June 27, 2013

abc da filosofia do sucesso de Wooden (I)


Gostaria de tecer alguns comentários sobre a filosofia da liderança do campeoníssimo técnico de basquete John Wooden. Considerado o maior técnico esportivo da história norte-americana, ele é um dos nomes que fizeram o conceito de coach  migrar da esfera esportiva para a da administração e quase que de uma estilística da existência em geral, em nossos tempos cada vez mais competitivos e exigentes em termos do imperativo da felicidade. 
O coaching, no nível que deparamos em textos como os de Wooden, é fenômeno em sintonia com o espírito da América profunda, um individualismo heroico para o qual o estigma do "loser" (perdedor , também traduzido como otário) é o avesso sombrio da glória do sucesso. Wooden, não sem tácitos pressupostos da ética protestante do trabalho, "espírito" do capitalismo desde suas origens, desloca o conceito de sucesso da mera conquista exterior para o mais íntimo cuidado de si, do indivíduo, um protocolo de atitudes e valores para consigo e para com a equipe, mesmo quando a equipe somos tão somente nós mesmos, nosso conglomerado de anseios, tendências e "eus". Sucesso, na sua célebre definição (retomada, aliás como toda a metodologia de Wooden, pelo genial Bernardinho, no vôlei brasileiro) é antes de mais nada a paz de espírito decorrente da consciência de ter dado o seu melhor na preparação para a disputa. Veremos isso com mais calma nos próximos posts. Gostaria apenas de estabelecer contato
com a emoção subjacente a esta visão do sucesso. E para tratar de emoções, nada melhor que o testemunho da poesia. Em seu livro A Pirâmide do Suecesso para a Excelência na Liderança, Wooden recorre aos versos do comentarista esportivo, também norte-americano, Grantland Rice, que no poema "O Grande Competidor" logra magnífica tradução da "comoção da batalha", que para Wooden é crucial ao estado de Grandeza Competitiva atingido pelo player que trilhou, ou melhor, galgou os andares da pirâmide, símbolo ancestral relido pelo mestre como a escada ascensional da autorrealização no jogo como na vida.
-Unzuhause-

"Além da vitória e do gol
além da glória e da fama.
ele sente a chama na alma,
nascida do espírito do jogo.
E onde se esperam barreiras,
dispostas pelos deuses adversários,
ele encontra a emoção de enfrentar o destino
e venver as intermináveis disputas.
Onde os outros definham no fogo
ou se dobram sob a pura má sorte,
Onde os outros ficam para trás ou se cansam
e se vergam sob a desvantagem,
Ele encontra uma nova e mais profunda comoção
que o leva em um rodopio ascendente,
Porque o teste é maior ainda,
e elgo em que ele pode se revelar".