sábado, julho 13, 2013

a vinganca de Tieta


Mais para o fim da vida, minha avo (desculpem a falta dos acentos, culpa do teclado americano, segundo me disseram) tinha um sorriso diferente. Nao era fingido, mas nao tinha mais o vigor da vida inteira. Femea alfa como tantas mulheres em meu entorno, vovo era pra mim uma segunda `grande mae` (grandmother `e o nome das avos, em ingles). Forte, assertiva, ironica, malevola quando queria. O sorriso do crepusculo nao era mais esse. Era algo distante, parecia decepcionado com as coisas, saudosista do vov^o e de tudo que fazia da vida uma experiencia intensa e significativa. Os dois sorrisos da vovo me assombram constantemente. O crepuscular, mais ainda, melancolico que sou com a sina de todos os viventes ao desejo, ao sofrimento, ansiedade, tedio e aniquilacao. E esse sorriso, o reencontrei hoje numa velhinha que estava de saida do metro superlotado. Caminhava com dificuldade, amparada e conduzida por uma possivel parente. Nao sei se os velhinhos todos tem esse mesmo sorriso intimo de vazio. Certamente nao o tem na propaganda risonha que cacareja as maravilhas da `terceira idade`, que alguns mais cinicos chamam de `melhor idade`. Meu apoio a Betty Faria pela coragem de explodir com um alfinete esses baloes de hipocrisia esta semana, ao se expor em trajes de `menina` aos 70 anos numa praia carioca. Derrota para aqueles que, ao elogiar nossos velhinhos, falam coisas como `uau, vcs estao uns garotos`. Nao se tapa com peneira o sol de Ipanema, nem as coxas de Tieta, na idade que tiver. 
No metro, minha alma cansada, como diria a musica evangelica, envelhece trinta anos a cada quinze minutos do suplicio de la estar. Metro que, enquanto estado de espirito, segue fora dos vagoes, a cada comboio dos sonambulos, a cada engarrafamento do genio de todos nos em garrafas hermeticas apenas no seu grau de fechamento, nao em sua abertura ao oculto. Aquela voz mecanica do alto recomendando `nao segure as portas`, `nao sente nos bancos de bolinha cor de rosa`, nao passe a mao na bunda alheia (eu certamente comecaria pelas coxas, tivesse maos bobas e covardes como a dos aproveitadores). Esse ultimo apelo pelo jeito nao deu certo, estao aprovando uma lei pra separar homens e mulheres em vagoes distintos. Puta que pariu, Dante nao conseguiria um retrato tao fidedigno do inferno: metro de Sao Paulo sem o refresco visual de uma coxa torneada cruzada sobre outra. Que sorriso terei na idade da vovo?
*Unzuhause*