Monday, July 15, 2013

usuário na via


Atenção. Devido à presença de usuário na via, os trens estão circulando com velocidade reduzida e maior tempo de parada. 
Umas duzentas vezes a voz mecânica do alto repetiu isso para nós, "justificando" a insuportável lentidão dos "trens" na Linha Verde do metrô agora há pouco.
A mídia quer fazer você odiar o oprimido ao invés do opressor, repetem os metafísicos da política, religiosos da luta de classes e demais carolas que projetam na cidade dos homens o anseio profundo da cidade de Deus. Recomendo com ênfase, a propósito das distinções entre a Atenas da feira política e a Jerusalém sacrário da interioridade moral, belíssimo artigo de Luiz Felipe Pondé hoje na Folha.
Pensamentos, "sólidos" (o da massa,  que pensa no barulho) e espectrais, que me vinham enquanto meu lado sombrio me bombardeava de imagens BDSM acerca do "usuário na via" empacando a vida da massa. Uma frase grotesca, de reflexão de boteco, mas que não me sai da cabeça em horas de embriaguez na lucidez: meu ídolo Neto brinca na TV, ao comentar um erro grotesco de juiz ou de jogador, "a gente devia bater com  gato morto até que ele ressuscitasse e fizesse um miau".
Mas meu lado angelical vinha aplacar a fúria bruta me politizando e polinizando de virtudes: os caras do metrô amam repetir qual é a falha quando algum de nós da massa somos supostamente o culpado.
-Unzuhause-