Friday, August 23, 2013

as aventuras de José de Souza Martins


Com muita alegria recebo a notícia do lançamento de "A Sociologia Como Aventura", de José de Souza Martins. Na câmera do meu espírito, o fotografo (para lembrar uma de suas maiores paixões e talentos, afora a sociologia e contar causos engraçados e reveladores da gente brasileira)  em três sequências afetivas, segundo o grau de proximidade do meu "mundo vivido" pessoal:  um dos mais importantes intelectuais brasileiros,  professor que mais me marcou em sala de aula, além de excelente entrevistado, mais de uma vez. Por exemplo em "Exclusão fora do foco", diálogo de 2002 para o caderno Mais! da Folha, e que, para minha honra, está incluído no volume que acaba de sair.
-Unzuhause-

Estimados (as) amigos (as),
A Editora Contexto acaba de publicar A Sociologia como Aventura, minhas memórias acadêmicas, que cobrem as duas décadas da ditadura e quase duas décadas subsequentes e problemáticas na vida universitária. Prisões (a minha própria), cassações e tensões decorrentes atravessam a narrativa. 
Boa parte do livro é dedicada à minha experiência de pesquisador, sobretudo à extensa e demorada pesquisa sobre os conflitos na região amazônica,  e de ativista de movimentos sociais, em particular na luta contra as injustiças e a violência no campo.  E, também aí, os muitos e complicados problemas da relação entre os movimentos populares, de um lado, e o cientista e a ciência, de outro.  Não só narro, mas analiso e proponho uma compreensão dessa relação difícil e problemática.
Haverá lançamento do livro em Salvador, na reunião da Sociedade Brasileira de Sociologia (10 a 23 de setembro); em Águas de Lindoia (SP), na Reunião Anual da Anpocs - Associação Nacional de Pós-graduação em Ciências Sociais (23 a 27 de setembro); e na Livraria Alpharrabio (Santo André, SP), em 23 de novembro, quando será lançado, também,Desavessos - Crônicas de poucas palavras (Editora Com-Arte, São Paulo, 2013).
Em São Paulo, haverá lançamento dos dois livros no final da tarde de 19 de novembro, após o encerramento da Jornada Internacional "A atualidade da Sociologia enraizada de José de Souza Martins", organizada pela Professora Fraya Frehse e pelo Departamento de Sociologia da FFLCH-USP, com a presença do violeiro e compositor Ivan Vilela. Será no Prédio de Filosofia e Ciências Sociais, na Cidade Universitária.  O programa será distribuído oportunamente.
Abraço firme do
José de Souza Martins

Da introdução:

Há certa insurgência testemunhal em falas assim, no impulso de dizer o que
escapa da pauta do conformismo e da dominação do “politicamente correto”.
Do que escapa das conveniências do apagamento da memória, das conspirações
tácitas para esquecer o que parece sem importância, não obstante a carga
residual das heranças mutilantes, dos desvios de curso que os incidentes da
história imperceptivelmente promovem. Foi aquele um momento de corrosão
da tradição acadêmica e de projetos de estudo, de redefinição das condições
sociais de produção do conhecimento nas Ciências Humanas entre nós. Fim
de uma época de certezas e começo de uma época de incertezas e de acasos. A
pós-modernidade começava entre nós. Já era o depois, sem ter sido o durante.

Sumário
Introdução.........................................................................................................................................................9
Perguntas ao silêncio.................................................................................................................19
Aprendi Sociologia no grupo de Florestan...................................................57
Não há ciência sem neutralidade ética............................................................85
Um sociólogo e sua circunstância......................................................................117
Exclusão fora de foco.............................................................................................................195
Sociologia, ciência da esperança........................................................................213
O peso da cruz e de seus cravos.......................................................................251
Apêndice: Carta a Florestan Fernandes....................................................347