Friday, September 13, 2013

medo de ser seis


Nao se trata do pensamento mais serio que ja me teve na vida (sim, acredito nos nossos pensamentos quando nao somos nos que o temos, eles escolhem primeiro). Mas vcs ja pensaram na dificil situacao do seis? Primeiro lugar, fora de forma para nossos padroes esteticos autoritarios, com aquela barriguinha sobressalente. O complexo de inferioridade so aumenta pelo seu nome ambiguo. Eu, que peco justamente seis unidades a cada compra na bilheteria do metrô, tenho que fazer com as maos o funcionario entender direito, e diferenciar do tres. Isso è caso unico entre os dez numeros basicos, e è problema de portugues, em ingles e frances por exemplo a inteligencia coletiva tratou de marcar mais nitidamente a identidade sonora de cada um desses numeros. Outra `solucao` questionavel è chama`lo de `meia duzia`. Caramba, precisa ser remetido a outro numero, e pior, ser a metade do outro, deve lhe dar uma puta inveja, dessa que Freud atribuìa à mulher em relacao ao homem. A mulher em Freud como homem subtraido do penis, e o seis como doze subtraido de outro seis! 
Por isso escrevo nesse momento de minha academia, para nao ter um complexo parecido com o do seis. Digo, complexo de corpo em forma de seis. Porque o outro complexo, mais profundo, de identidade confusa, faltante, esse parece de algum modo inevitavel, somos todos psiquicamente `seis`em potencial, mesmo sendo homem, uma porque todo homem tem a mulher dentro de si  (sou mais Jung), outra porque nao acredito na inveja necessariamente do penis como o recorte entre os sexos. Acredito na inveja como maldicao de todos os filhos e filhas de Caim, ele tambem um complexado, talvez angustiado de nao ser ouvido nitidamente pelo Pai, nem por fala nem por gestos de mào, mais longe e menos audivel para seu Pai do que o irmao Abel, como o pobre seis ante a cabine de vidro do funcionario do metrô.
+Unzuhause+