Tuesday, October 01, 2013

Pacaembu chorando por nós


Tite , com seu desgaste natural pelo tempo de comando do time, é o menos culpado. Bem menos do que a incompetência da diretoria pra se livrar dos pesos mortos de antes e evitar  trazer outros. Diretoria banana  que não soube nos imunizar do clima de acomodação que é mortal para qualquer ambiente criativo e competitivo. Péssimos investimentos. Ibson é brincadeira, Renato Augusto é do tipo que é tecnicamente bom, mas não se conte com ele. Não tem punch de atleta de alto nível e atrai contusão.  Pato, mais caro que o time inteiro do já campeão Cruzeiro, ah Pato! Fio, tu não nasceu pra vestir esta farda, pede pra sair. Mas o que me soa mais sinistro, e mais sintomático de segunda divisão à vista, é a conduta da torcida, simplesmente destruindo, com as punições do tribunal para suas irresponsabilidades, o que era pra ser o ano histórico da despedida de nosso eterno Pacaembu. Ouço as arquibancadas chorarem ao saber que, por culpa de marginais que jogam contra nós, contra a cidadania, no dia a dia, nos roubando e nos matando pelas ruas, bandidos quaisquer, o time do povo é forçado à despedida precoce de sua casa. A Fiel é maravilhosa na essência, mas não deixa de ter uma cambada de girinos mentais que estão se lixando para o bem do time, querem é botar pra fora, via violência, seus impulsos primatas, entre os quais um que, pra não dizer o nome próprio, toma a forma de palavrão dirigido ao outro, por exemplo contra o mascarado  que é esse Emerson, que na hora mais inconveniente possível assumiu seu lado "alegre" que nada tem a ver com os rigores de guerra sublimada que se vive e se morre a cada hoje e amanhã, sempre de novo, não importa a glória de ontem, no campo de jogo. Nos deu os dois gols do título da Libertadores, é verdade, mas parou lá, agora só sabe se estatelar como uma dama ao primeiro esbarrão de zagueiro dentro da área, e dar carrinhos e pontapés de "protesto" masculino, como diria Adler, contra sua imagem definitiva e desnecessariamente desgastada. 

-Unzuhause-


Tite agradece apoio da direção e nega estar "esgotado" pela crise

Do UOL, em São Paulo
O abatimento de Tite após a goleada sofrida pelo Corinthians diante da Portuguesa chamou atenção de quem acompanha o dia-a-dia do treinador, que sequer falou com a imprensa depois do 4 a 0 do último domingo. Nesta terça, ele conversou com os jornalistas pela primeira vez desde o episódio e negou que esteja "esgotado" pela crise.
"Eu discordo desse termo. Se tivesse esgotado, não teria nem iniciado minha carreira. Tem de ter luz, discernimento e persistência. Talvez não exista instabilidade maior que a do técnico. Iniciei com 16 anos no futebol e com 28 já era técnico. Todas as pessoas têm de entender que não existe super-homem para nada, inclusive para técnico", disse Tite à rádioGlobo.
O treinador ficou tão fragilizado após a derrota em Campo Grande (MS) que foi poupado pelos jogadores no vestiário. Após o 4 a 0, Alessandro e Emerson foram encarar a imprensa e defenderam Tite, àquela altura muito pressionado pela série de oito jogos sem vencer do Corinthians.
"Eu aceitei de bom grado a iniciativa deles conversarem com vocês. Por mais humano que tu seja, o sentimento fica aflorado. Nenhuma vez aconteceu de eu não ir [em coletivas pós-jogo]. Quando aconteceu, foi com vitórias. Eu também sou humano, não sou super-homem. Disseram: 'Tantas vezes você foi lá, deixa a gente agora", disse Tite.
A pressão, ao menos oficialmente, não surtiu efeito. Toda a diretoria de futebol já repetiu o discurso de que ele será mantido até o fim do ano, e mesmo a torcida não dá sinais de que vê o técnico como o principal culpado. Tite agradece.
"Sou um cara privilegiado. Estar técnico do Corinthians com tanto tempo assim, e estar apoiado assim não é para qualquer um. Quero ter toda a força possível e a capacidade, o discernimento, para fazer um grande trabalho para toda a equipe", completou.