Wednesday, November 13, 2013

o porte apostólico


Caminho, fruto de uma atividade sacerdotal que São Josemaría Escrivá havia iniciado em 1925, aparece pela primeira vez em 1934, com o título de "Considerações espirituais"; em 1939, data da segunda edição aumentada, recebe o nome atual e definitivo. Atualmente, já foram publicados cerca de 4.500.000 de Caminho em 43 idiomas.

Caminho tem um estilo direto, de diálogo sereno, no qual o leitor se encontra diante das exigências divinas num ambiente de confiança e amizade. Quando foi publicado na Itália, L'Osservatore Romano comentou: “Mons. Escrivá de Balaguer escreveu mais do que uma obra-prima; escreveu inspirando-se diretamente em seu coração, e ao coração chegam diretamente, um a um, os parágrafos que formam Caminho”.

Lê devagar estes conselhos. Medita pausadamente estas considerações. São coisas que te digo ao ouvido, em confidência de amigo, de irmão, de pai. E estas confidências as escuta Deus. Não te contarei nada de novo. Vou revolver as tuas recordações, para que aflore algum pensamento que te fira. E assim melhores a tua vida, e entres por caminhos de oração e de amor. E acabes por ser alma de critério. (Caminho, Prólogo do autor)

1) Que a tua vida não seja uma vida estéril. - Sê útil. - Deixa rasto. - Ilumina com o resplendor da tua fé e do teu amor.
Apaga, com a tua vida de apóstolo, o rasto viscoso e sujo que deixaram os semeadores impuros do ódio. - E incendeia todos os caminhos da terra com o fogo de Cristo que levas no coração.
2) Oxalá fossem tais o teu porte e a tua conversação que todos pudessem dizer, ao ver-te ou ouvir-te falar: “Este lê a vida de Jesus Cristo”.
3) Gravidade. - Deixa esses meneios e trejeitos de mulherzinha ou de moleque. - Que o teu porte exterior seja o reflexo da paz e da ordem do teu espírito.
4) Não digas: “Eu sou assim..., são coisas do meu caráter”. São coisas da tua falta de caráter. Sê homem - “esto vir”.
5) Acostuma-te a dizer que não.
(...)