Saturday, January 02, 2016

Por um 2016 estiloso a todos



Para a teoria do estilo.



1. A primeira coisa necessária é vida: o estilo deve estar vivo.

2. O estilo deve ser apropriado a ti em vista de outra pessoa bem definida com a qual queres te comunicar (lei da dupla relação).

3. Antes de escrever, deveríamos saber exatamente como diríamos e exporíamos o assunto. Escrever deve ser imitação.

4. Por faltarem ao escritor muitos dos recursos do expositor, [ele] deve em geral ter como modelo um modo de exposição muito mais expressivo: a cópia, o escrito, necessariamente resultará muito mais pálido.

5. A riqueza de vida revela-se na riqueza de gestos. Devemos aprender a sentir tudo – comprimento e concisão das frases, pontuação, escolha das palavras, pausas, sequência dos argumentos – como gestos.

6. Cuidado com o período! Só devem usá-lo aqueles que, ao falar, têm uma longa respiração. Com os demais, o período é uma afetação.

7. O estilo deve provar que acreditamos em nossos pensamentos, que não só os pensamos, mas também os sentimos.

8. Quanto mais abstrata a verdade que queremos ensinar, tanto mais devemos atrair para ela os sentidos.

9. O tato do bom prosador na escolha de seus meios consiste em chegar bem perto da poesia, mas nunca transferir-se para ela.

10. Não é polido nem prudente antecipar ao leitor as objeções mais leves. É muito polido e muito prudente deixar ao critério do leitor expressar ele mesmo a última quintessência de nossa verdade.


Friedrich Nietzsche


Fonte:

SALOMÉ, Lou Andréas. Nietzsche em suas obras. Trad.: José Carlos Martins Barbosa. São Paulo: Editora Brasiliense, 1992. (pág. 141)