quinta-feira, julho 21, 2016

desesconder a vida


Padre Léo tinha uma leitura intrigante da passagem bíblica que diz que nossa vida está escondida em Cristo. Sempre imaginei isso num sentido positivo, o do Santo recolhimento, intimidade do fiel com o seu Senhor, protegida do olhar e barulho vulgar do mundo, assim como a oração proferida no sigilo do meu quarto. O amado padre não, ele leva a coisa a outro patamar. Para ele a expressão indica que nosso eu melhor está, enquanto "escondido", num estado de potencialidade inconsciente, não consumada, estamos distantes da Vida enquanto ela está escondida -de nós- no Cristo que É a vida, o caminho, a verdade. Ontem, dia do Amigo, pratiquei uma espécie de mantra inspirado nesse amigo "virtual", além das distâncias de vida e morte, poder que muitos fãs de Léo veem nessa figura doce e comovente, legítimo santo como espero ver um dia a Igreja proclamar oficialmente. O mantra dizia, com um verbo inexistente, apenas indicativo de um estado que haverá de existir , também ele acima da linguagem habitual: "Senhor Jesus Cristo, 'desesconde' minha vida".